ANA

02-04-2010 15:41

A história de Ana é um exemplo maravilhoso de uma mulher com um coração materno.

Vejamos o contexto desta história:

1º Samuel : 1 

1 - Houve um homem de Ramataim-Zofim, da região montanhosa de Efraim, cujo nome era Elcana (...).

2 - Tinha ele duas mulheres: uma se chamava Ana, e a outra Penina. Penina tinha filhos, porém Ana não os tinha.

3 - De ano em ano este homem subia da sua cidade para adorar e sacrificar ao Senhor dos exércitos em Siló. Assistiam ali os sacerdotes do Senhor, Hofni e Finéias, os dois filhos de Eli.

4 - No dia em que Elcana sacrificava, costumava dar quinhões a Penina, sua mulher, e a todos os seus filhos e filhas;

5 - porém a Ana, embora a amasse, dava um só quinhão, porquanto o Senhor lhe havia cerrado a madre.

6 - Ora, a sua rival muito a provocava para irritá-la, porque o Senhor lhe havia cerrado a madre.

7 - E assim sucedia de ano em ano que, ao subirem à casa do Senhor, Penina provocava a Ana; pelo que esta chorava e não comia.

Elcana era levita e tinha duas mulheres.

Ana  a primeira esposa e a predileta era estéril, o seu nome significa "graça", ela era o exemplo vivo desse significado, mantendo um relacionamento vital e um caminhar constante com Deus.

A segunda esposa era Penina, tinha filhos e filhas.

Penina afrontava Ana com dureza,ela usava a esterilidade de Ana como instrumento para ofendê-la, e fazia isso continuamente.

Sendo assim escarnecida por Penina, Ana vivia em estado de desânimo.

Elcana estava atento ao sofrimento da esposa, e fazia o possível para consolá-la. v. 8

Ana sabia que só havia um lugar onde poderia encontrar verdadeiro consolo; na presença do Senhor.

 Essa certeza é uma das primeiras marcas de uma mulher de fé.

Ana conhecia Aquele que poderia oferecer auxilio e esperança ao seu coração ferido. Ao chegar à presença do Senhor, com amargura na alma ela orou e chorou angustiada...

11 - e fez um voto, dizendo: ó Senhor dos exércitos! se deveras atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas lhe deres um filho varão, ao Senhor o darei por todos os dias da sua vida

Ana demonstrou profunda fé ao recorrer ao Senhor e apelar à sua força e poder. Ela reconheceu que só Deus poderia fazer alguma coisa para mudar a sua situação. Ana implorou ao Senhor que não se esquecesse dela e corajosamente pediu a Deus um filho do sexo masculino. Ela pediu um menino porque queria devolvê-lo ao Senhor para que fosse usado de um modo muito especial.

No seu instinto materno, disse "Deus este filho será o meu presente para o Senhor".